Revista Piriah de Arte e Cultura

A revista de arte e cultura lançada pela Secretaria de Estado da Cultura da Paraíba, em maio de 2016, já está em sua segunda edição e carrega o nome de Revista Piriah, que significa “caminhando” no dialeto da comunidade cigana Calon. Com publicações semestrais, a revista pretende ser um reflexo da realidade paraibana.

Gregório Medeiros, jornalista responsável pela publicação da revista, aponta que a sistematização de cada publicação é realizada a partir de um Conselho Editorial. Para ele, os dois primeiros números trazem várias promessas e enaltecem a produção artística ao difundir e dar visibilidade às experiências culturais da sociedade que, muitas vezes, acabam sendo “engolidas” pela produção dos eventos culturais.

Outros dois pontos fundamentais para a democratização do acesso ao conteúdo da revista são a sua distribuição gratuita e a realização de seminários itinerantes nas 12 regionais de cultura do estado, com o objetivo de descentralizar as ações e possibilitar o debate e a formação de leitores. Instituições da sociedade civil também podem se dirigir à secretaria e solicitar exemplares da revista ao Conselho Editorial.

thiagotrapo
Arte de Thiago Trapo publicada na primeira edição

Um dos vetores fundamentais de qualquer política cultural é possibilitar uma reflexão sobre a dinâmica da cultura, mantendo um contato aberto com o público e, dessa maneira, a revista passa a ser uma referência para as diversas secretarias de cultura do país, ao tentar trazer um olhar contemporâneo e atrativo para questões que há anos estavam à margem do diálogo com a sociedade civil e os artistas.


Queremos o refinado pensamento paraibano navegando por aqui. A leveza de caminhar nas margens, no centro e no fundo deste terreiro oceânico. Os estranhamentos da existência. A interpenetração dos contrários. A arte e suas transgressões. As sutilezas da diversidade humana. O aprendizado da gestão. Os movimentos sociais da cultura. (…) Estamos propondo um ‘olho no olho’ com a nossa responsabilidade histórica.

Lau Siqueira, Secretário de Estado da Cultura da Paraíba

A revista apresenta uma série de artigos, poemas, textos, ilustrações, fotografias e entrevistas sobre temas voltados à cultura paraibana, mas que também dizem respeito a todos os brasileiros.

O conjunto de colaboradores é formado por artistas, gestores, pesquisadores e professores de vertentes distintas, caracterizando uma proposta plural da editoria, ao possibilitar que diferentes figuras façam parte desse motor de ideias.

Oswald de Andrade já dizia que só a Antropofagia nos une socialmente, economicamente e filosoficamente, ou seja, precisamos abrir nosso leque de leituras e referências culturais para outras localidades que não fazem parte do eixo Rio-São Paulo, estabelecido pelo status quo.


Entender a Piriah, é discorrer sobre o território no qual ela está inserida, sobretudo em suas dimensões que contrasta o erudito e o popular, mas perpassa pela a realidade de vida dos ciganos que aqui vivem. Ressalta palcos e cenários fotográficos de performance, de representação estética e de valor artístico, cuja participação da sociedade passa a discutir corpo e cidade.

Gregório Medeiros, Jornalista da Secretaria de Estado da Cultura da Paraíba

Ao ler essas duas primeiras edições pude aprender muito sobre os ciganos; conhecer um pouco mais da história do poeta Augusto dos Anjos (nascido no município de Sapé/PB); conhecer artistas paraibanos; receber provocações acerca da pauta de acessibilidade à cultura de pessoas com deficiências visuais; ler textos literários de novos autores; compreender quais são os desafios atuais da gestão e da política cultural, entre tantas outras informações.

A revista também faz parte do Selo “Conexão Nordeste”, propondo um intercâmbio entre segmentos culturais de seis estados do nordeste e criando uma forte unidade regional. Como resultado, ajuda a atender a meta 25 do Plano Nacional de Cultura, que prevê um aumento em 70% nas atividades de difusão cultural em intercâmbio nacional e internacional.

As duas publicações da Revista Piriah estão disponíveis para leitura nos seguintes links (clique em cada imagem para abrir o arquivo):

1     2

Na entrevista que fiz com Gregório Medeiros aproveitei para perguntar quais são as principais revistas de cultura publicadas na Paraíba – além da Piriah – e outras referências para quem tem interesse em conhecer mais sobre a cena cultural do estado:

Boa leitura!


thaisrigolonThaís Rigolon, pós-graduanda em Mídia, Informação e Cultura no CELACC/USP (2015 – 2017); graduada em Produção Cultural (2015) e pesquisadora da área de cultura e comunicação. É técnica em fundamentos culturais; prospecção de mercados artísticos; analista de mercados culturais e técnica em gestão de processos e programas culturais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: